pt / en

Destaques

A inspiração

JOÃO HUMBERTO MARTORELLI

Céu azul, sol de janeiro. A lua ontem prateou no mar. A mulher carinhosa, aninhada. Respira o ar, e o corpo saudável responde, ele sente a engrenagem. A família está feliz, harmoniosa, o trabalho vai bem. Tudo ao redor é solícito. Mas a inspiração abandonou o poeta. E por que tudo haveria de estar bem para surgir, qual uma criança no parto, um pinto saindo da casca, uma flor desabrochando, o sêmen expelido, a porta se abrindo, a onda quebrando, o ente querido voltando, o primeiro encontro de amor, a descoberta do sexo, os pais se reconciliando, a cor na parede, a canção de ninar, o primeiro dia de trabalho com terno e gravata, parecendo outra pessoa, mas feliz por se transformar, a saudade daquilo que deixava, a primeira escola, que não era escola, começou com ensino domiciliar, as tias, a professora Creusa, a casa do avô acastelada, maior então do que agora nos seus pensamentos e quando a visita e a vê de fora, pois já não lhes pertence, os abraços ingênuos e já sensuais nas amigas das primas, nas amigas descobertas, as danças nos encontros de juventude que interessavam mais pela proximidade do rosto róseo e encabulado, o corpo se entregando dócil a essa proximidade, depois o entreolhar, a saída do dancing de mãos dadas, a conversa em voz baixa para os amigos dele e dela não fazerem algazarra, à saída da boate os dedos mínimos acostados, a sensação de depois, o dia seguinte, o encontro a sós, o primeiro namoro, as grandes amizades conquistadas, florescidas, o orgulho do pai, a admiração pelo pai, e pela mãe, seu carinho, seus cabelos, sua ternura, sua entrega, desprendimento e generosidade, os irmãos e o desabrochar da fraternidade, que vem de irmandade mesmo, e perceber que a irmandade se irradia para o resto do mundo, para o inimigo também, o ingresso na faculdade, o esforço prazeroso de tantos anos, a preparação para a diplomacia, os sonhos de então, a surpresa da advocacia, as conquistas imateriais, as materiais, os filhos surgindo um a um, a descoberta de cada personalidade e da igualdade do amor, um parto, dois partos, três partos, quatro partos, Howell, fica em Michigan, São Paulo, Nova Iorque, Paris, Viena, o silêncio amoroso de Bruges, o contorno europeu de sua vida aos trinta anos, a maturidade, o poema? Não teria razão, não quis vir, não veio, o poema despreza tudo isso. Vem apenas a epígrafe de Mário de Andrade: “Onde até na força do verão havia tempestades de ventos e frios de crudelíssimo inverno”.

João Humberto Martorelli é advogado